Crise!

Como superar esses tempos de crise que vivemos? Como vencer essa oscilação de mercado que parece interminável? E agora? E agora? Perguntas e mais perguntas!

Sabemos que hoje a situação no Brasil está complicada. Não é de hoje que essa instabilidade incomoda a todos! E arrisco a dizer que o ramo da construção civil é um dos mais afetados por isso. Em tempos de crise, existe uma tendência à priorização de necessidades, sendo que as pessoas irão optar por priorizar itens básicos para a vida, como alimentação, medicação, entre outras coisas, e a primeira grande paralisação, digamos assim, são relacionados às construções.

E nada contribui para uma melhora por ora. Oscilações de mercado e especulações políticas contribuem para essa retração sofrida pelo mercado.

Por que projetar antes de construir?

E o que devemos fazer?

Penso que dentre as várias maneiras de sobrevivermos às crises que estão batendo em nossas portas e que não parecem ir embora, duas me chamam mais a atenção e quero compartilhar com vocês.

É claro que vocês podem não compartilhar da minha visão, talvez pensem totalmente diferente, mas aqui vai.

Foco

Devemos ter foco e não somente na parte profissional, mas em todos os aspectos da vida! O foco na questão profissional, voltando agora para a área de Engenharia e Arquitetura deve estar na escolha de qual atividade o escritório prestará serviço ou qual tipologia de construção a construtora realizará. É importante estar bem preparado tanto no aspecto técnico quanto no aspecto administrativo.

Acredito que as crises, de um modo geral, irão dar uma “peneirada” nos profissionais e desse modo, ficarão somente os bons, ou algo próximo disso e para garantir a consistência da sua empresa, você deve mostrar que sabe fazer bem o que faz, que faz acima da média! Nunca se compara ao médio, se compare sempre ao melhor!

Portanto, escolha corretamente a área que irá trabalhar e mantenha sempre o seu foco nela. Não significa que você não possa mudar o foco posteriormente, mas não vai adiantar nada ficar atirando para todos os lados sendo que você não domina essa ou aquela disciplina. E o pior é que você pode acabar queimando o seu nome ou o nome da sua empresa.

Perseverança

Não adianta nada sermos tecnicamente hábeis e administrativamente eficientes se não tivermos perseverança! Não podemos desistir logo na primeira “pedrada” que o mercado nos der e acredite, haverão pedradas!

Assim que tivermos a consciência do que estamos fazendo, qual a proposta da empresa e se é algo que tenha mercado ou gera algum tipo de rentabilidade, temos que perseverar, batalhar e até mesmo tirarmos água de pedra. Como foi dito anteriormente a crise afeta a todos, especialmente o mercado de construção civil, mas se você olhar ao seu redor em sua cidade, até mesmo sua rua, verá que existem obras em andamento e até mesmo iniciando, ou seja, a crise afeta sim, mas não todo mundo! Ao menos não afeta todos da mesma maneira!

Oras, então tem serviço! Basta sabermos procurar e não nos deixarmos abater pela dificuldade. Já é difícil em situações de bom mercado, quem dirá nessa bagunça que estamos envolvidos! Então, aguente as pontas que logo algo irá aparecer!

E se nada funcionar?

É claro que não adianta dar soco em ponta de faca, ou seja, se mesmo com uma decisão sólida do tipo de serviço prestado e tendo esgotado o limite da perseverança e as coisas já estão mais feias do que deveriam, termos a flexibilidade para alterarmos o rumo da empresa ou repensar a estratégia de marketing é essencial para a sobrevivência.

 

São infinitas as maneiras de lutarmos contra a crise que vivemos e obviamente, cada empresa ou profissional pensa de um modo e tem alguma estratégia para se manter estável no mercado, e se essas dicas os ajudaram de alguma forma, eu fico feliz! Caso não tenham lhe ajudado, quem sabe na próxima!

Devemos sempre estar atentos a esses períodos e nunca largarmos o osso se o que a gente faz, mesmo não dando os resultados esperados num primeiro momento, nos faz feliz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *